O Major Koeler

Júlio Frederico Koeler nasceu em Mainz, Alemanha, no dia 16 de junho de 1804. Logo após ter saído do exercito prussiano, como Alferes, emigrou para o Brasil em 1828, sendo contratado para servir ao Exército Imperial, devido à falta de oficiais no Brasil. Depois de fazer testes na Academia Militar do Rio de Janeiro, Koeler foi admitido como 1º Tenente do Corpo de Engenharia do Exército Imperial.


No dia 24 de fevereiro de 1830, Koeler casou-se na Catedral de Niterói, com Dª Maria do Carmo Rebelo de Lamare, com licença da Igreja, devido ao noivo ser protestante e a noiva católica. Dessa união, nasceu Rodrigo de Lamare Koeler. Afastado do Exército por problemas puramente políticos, já que D. Pedro II foi obrigado a afastar do Exército Imperial, os batalhões estrangeiros, Koeler foi contratado para ser engenheiro civil na Província do Rio de Janeiro. No dia 12 de fevereiro de 1833, depois de se naturalizar brasileiro, Koeler voltou ao Exército Imperial.


Arrendou a Fazenda Imperial entre 27 de julho de 1843 e a rescisão do contrato foi assinada em 22 de abril de 1846. Com a obrigação estabelecida na escritura do arrendamento da Fazenda do Córrego Seco, o Major devia “levantar a planta da futura Petrópolis...demarcar em prazos todo o terreno.... e numerá-los (artigo 10 da escritura de 26 de julho de 1843, em que foram partes o Mordomo da Casa Imperial e o Major Koeler.


O território inicialmente destinado à construção da cidade foi dividido em Vilas, áreas vinculadas ao Palácio, previstas para maior densidade demográfica e Quarteirões (bairros) que foram divididos em prazos (lotes).


A planta elaborada pelo Major Koeler, conforme a reprodução de 1846, apresentou Petrópolis composta de 11 Quarteirões e 2 Vilas. Os Quarteirões receberam nomes de regiões e cidades da Alemanha.


Koeler também mudou o velho estilo colonial de sempre construir as casas de fundos para os rios, que eram utilizados apenas como esgotos. Passou a aproveitar os cursos d’água, para traçar pelas suas margens, as avenidas e as ruas que davam acesso aos bairros.


Foi o responsável pela colonização alemã em Petrópolis.


Koeler morreu num lamentável acidente de tiro ao alvo em sua Chácara da Terra Santa em Petrópolis no dia 21 de novembro de 1847.


A administração de Koeler foi de um pequeno período mas de muita contribuição para o desenvolvimento e progresso de Petrópolis.


Fonte: Conhecendo Petrópolis e


Tribuna de Petrópolis