Associação dos grupos Folclóricos Alemães de Petrópolis

“Associação dos Grupos Folclóricos Alemães de Petrópolis – AGFAP”
Para falar da AGFAP, temos que voltar no tempo alguns anos. Uns 35 anos. E eu me lembro com tristeza dessa época. A cultura germânica em Petrópolis estava agonizando, quase morta.
Nenhum descendente dos colonizadores falava mais o alemão. Este, após a proibição durante a 2ª Guerra Mundial, não conseguiu voltar à vida. Cito como exemplo os cultos e as missas em alemão nas Igrejas Católica e Luterana que aos poucos foram sendo extintos por falta de frequentadores com entendimento do idioma. Muitos nomes de ruas e praças haviam sido trocados por nomes brasileiros e até algumas famílias “aportuguesaram” seus sobrenomes com medo da perseguição. Muito foi definitivamente perdido sem condições de resgate. As manifestações da cultura alemã estavam “hibernando”. Uma cidade colonizada por alemães? Uma cidade em que os livros e as bíblias em alemão haviam sido desenterradas após anos em caixas debaixo da terra e que agora traziam marcas irrecuperáveis causadas pela umidade. Uma cidade colonizada por alemães, cujos descendentes não falavam mais o idioma, as Bandas de música alemã desapareceram, os Corais evitavam cantar em alemão. Não havia festas típicas, a culinária era timidamente preservada entre famílias, não havia sequer um Programa de Rádio que mantivesse acesa essa chama. Os jovens, com seus sobrenomes “complicados” ignoravam sua origem e sua história e finalmente; não havia Grupos de Danças Folclóricas.
Foi então que em 1981, o Clube 29 de Junho que desde sua fundação em 1959 mantinha alguma atividade cultural, criou o 1º Festival Germânico, idealizado por um de seus diretores, Sr. Ildefonso Troyack. Este Festival prosseguiu até 1989 e em virtude do crescimento do evento, em 1990, por falta de estrutura, o Clube 29 de Junho firmou uma parceria com a Petrotur, órgão ligado à prefeitura de Petrópolis para uma realização conjunta e já a partir deste ano, o antigo Festival Germânico passou a ser organizado em conjunto e naquele ano passou a chamar-se “Festa do Colono Alemão” . Em 1991 foi rebatizada de BAUERNFEST, o mesmo nome traduzido para o alemão.
Naquele ano todas as atrações vinham do sul do Brasil, pois em Petrópolis não havia nada. A Banda Germânicos e o Grupo Folclórico 25 de julho, ambos de Blumenau/SC e outro Grupo Folclórico de Domingos Martins/ES que deram o toque de alegria, reascendendo a saudade adormecida dos petropolitanos descendentes.
Foi então que, numa noite da festa, enquanto o Grupo Folclórico 25 de julho de Blumenau/SC se apresentava no interior do Palácio Cristal, que aconteceu uma verdadeira explosão no coração dos jovens que assistiam esta apresentação. Creio que foi o brio atingido em cheio pois, de repente, TODOS, quase que numa só voz conclamaram os presentes para arregaçar as mangas e dar início a este trabalho de recuperação da cultura. Perguntas como; por que precisamos importar Grupos e bandas do sul? Por que nós não nos mobilizarmos para a criação de um Grupo folclórico aqui em Petrópolis? E em seguida os alto-falantes da festa anunciavam a abertura de inscrições na Barraca do Clube 29 de Junho para a criação do primeiro grupo Folclórico de Petrópolis. A corrida foi imediata. Dezenas de pessoas de todas as idades fizeram suas inscrições.
Assim; após o término da Bauernfest , em 25 de agosto de 1991 foi legalmente fundado o “Grupo Folclórico Germânico Bergstadt”, 1º Grupo de Petrópolis.
Os primeiros tempos foram difíceis. Faltavam-nos conhecimento e acesso às fontes de pesquisas sobre as danças e os trajes. Empenhados em construir uma história, buscamos alguns Grupos do Sul, como o Böhmerwald de São Bento do Sul/SC e o grupo 25 de Julho de Blumenau/SC, que nos prestaram apoio com todas as orientações necessárias para os primeiros passos.
A partir de então; foram surgindo mais grupos em Petrópolis. em 01 de abril de 1991 foi fundado o “Bauerngruppe-Danças Folclóricas Alemãs de Petrópolis”, em 14 de novembro do mesmo ano o “Mosel Volkstänze de Petrópolis”, em 22 de outubro de 1994 o “Rheinland-Pfalz”, em 24 de fevereiro de 1996 o “Petrópolis Danças Folclóricas”, em 01 de fevereiro de 1997 o “Kaiserstadt Kulturkreis”, em 23 de agosto de 1998 o “Koblenz Volkstangruppe”, em 06 de janeiro de 2001 o “Blumenberg Volkstanz”. Todos estes, estão em plena atividade até os dias de hoje e fazem parte da Associação dos Grupos Folclóricos Alemães de Petrópolis-AGFAP. Neste intervalo mais alguns Grupos surgiram, porém já encerraram suas atividades. Cito o Bielstein Bauern do Morim, o Stuttgart do Bingen, o Darmstadt da Montecaseros, o Grupo 29 de Junho do Centro o Oberstein do Valparaíso, o Pioneer também do Valparaíso que apesar do pouco tempo de sua existência, deram sua significativa contribuição. Também não podemos esquecer do Trier do bairro Mosela que está em fase de reestruturação .
Para fortalecer e estimular a união de todos os Grupos, no início dos anos 90 foi criada a “Liga dos Grupos Folclóricos de Petrópolis” que atuou até o anos de 1999 e acabou dissolvida por motivo de afastamento do então Presidente.
Convictos de que a união de todos em torno do mesmo objetivo era necessária ou até vital, a partir do início do ano de 2000 houve novo empenho por parte de todos em criar uma nova estrutura para este fim e assim, em outubro do mesmo ano, foi fundada a Associação dos Grupos Folclóricos Alemães de Petrópolis-AGFAP.
Legalmente constituída, a Diretoria foi e ainda é formada por 1 representante de cada Grupo associado, que na época ainda englobava o Grupo Folclórico 29 de Junho de Petrópolis e o Grupo Schmetterling de Juiz de Fora/MG.
A partir da criação desta associação e sob o pulso firme de sua presidente Karin Bell, seguida no cargo após 8 anos, por Fábio Holderbaum e Leonardo Nicolay de Almeida e atualmente reeleita, em pouco tempo foi possível sentir os resultados positivos. A primeira conquista além da união de todos foi pela primeira vez desde o Surgimento da Bauernfest, obter um cachê e suporte digno para as apresentações dos Grupos na festa.
Projetos e realizações da AGFAP
Em março de 2002 foi realizado em parceria com o SESC/RJ o Seminário de Danças Folclóricas com duração de um final de semana, trazendo grande contribuição para o crescimento dos Grupos de nossa cidade.
Em junho de 2002: Foi realizado o projeto " A Colonização Alemã nas Escolas", em parceria com a Prefeitura Municipal de Petrópolis, Secretaria de Educação e Esportes, SESC, AGFAP, Fundação de Cultura e PETROTUR. Consistia em mini palestras sobre a importância do resgate da história e origem de cada aluno, explicações sobre o Brasão de Petrópolis. Eram em forma de visitas às escolas, abrilhantadas com pequenas apresentações de danças e explanação sobre os trajes
Em 2003 e 2004, participação da XII Bauernacht e XIII Bauernacht em Petrópolis
Em Outubro de 2010 – Realização da 1ª Oktoberfest em Petrópolis em parceria com a Escola São Judas Tadeu da Mosela .
Em Dezembro de 2010 - Participação do primeiro desfile de Natal em Petrópolis.
Em Outubro de 2011 – Realização da 2ª Oktoberfest em Petrópolis
Em Outubro de 2012 – Realização da 3º Oktoberfest em Petrópolis
Em Setembro de 2012 – Participação na 18ª Deutsches Fest em Juiz de Fora/MG
Participação de divulgações de Petrópolis na ABAV, no Salão Internacional do Turismo em São Paulo.
Divulgação da Bauernfest, em várias cidades e estados levando nosso trabalho.
Participação do Desfile de Carnaval em vários anos.
Por iniciativa da AGFAP, com o apoio da Fundação de Cultura e turismo de Petrópolis, os desfiles da Bauernfest passaram a ser narrados, com o objetivo de levar ao público expectador, informações sobre cada Grupo, seus trajes e a região da Alemanha que representam.
Hasteamento da bandeira da AGFAP na Bauernfest, ocupando lugar ao lado das bandeiras do Brasil, da Alemanha, de Petrópolis e do Clube 29 de Junho, uma conquista de reconhecimento, assim como o direito à palavra de abertura da Festa, ao lado das autoridades e demais representantes da cultura alemã em Petrópolis.


Desde o ano 2002 até os dias atuais, projeto “Dançando na cidade” uma parceria com Prefeitura Municipal de Petrópolis, Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis, AGFAP e Museu Imperial. Consiste em apresentações de março à dezembro, todos os sábados às 15h no Palácio de Cristal e todos os domingos às 12h no Museu Imperial.

Premios:
Em 5/4/2001: AGFAP recebe "simbolicamente" as chaves da Casa do Colono
Também em 2001, recebe o Título de Personalidades Petropolitanas
Em 2006 Recebe o Prêmio Koeller de Turismo
Em 26/06/2008: Título de Utilidade Publica pelo Vereador Bernardo Rossi

Ficha técnica:
Data de fundação: Outubro de 2000
Diretoria atual:
Presidente: Karin Pujol Bell - Koblenz Volkstanzgruppe
Vice Presidente: Fábio Holderbaum – Blumenberg Volkstanz
Tesoureira: Elisabeth Graebner – Kaiserstadt KulturKreis
Secretário – Leonardo Nicolay de Almeida – Mosel Volkstänze
Diretor cultural – Rafael dos Santos Silva – Bauerngruppe Danças F. Alemãs
Conselho Fiscal: Luiz Felipe Wilbert – Rheinland-Pfalz, Paulo Wayand – Grupo Folclórico Germânico Bergstadt e Romeu Raeder da Rocha – Petrópolis Danças Folclóricas.

Contato: E-mail: agfaponline@gmail.com – Telefone: (24) 2231-1878 e (24) 2244-8027
.
Elisabeth Graebner e Karin Pujol Bell