A história de Loreley e do Vale do Reno

Uma exposição conjunta nas cidades de Bingen e Koblenz trata da história do Vale do Reno e desvenda os mistérios da lenda de Loreley. Peças arqueológicas e manuscritos originais fazem parte da mostra.

O mais famoso penhasco da Alemanha, localizado no Vale do Reno, exerce um fascínio indiscutível nas pessoas. Diz a lenda que lá vive uma bela moça com longos cabelos loiros que quando os penteia gosta de cantar. Sua voz melodiosa hipnotiza os capitães das embarcações que navegam pelo rio Reno. Todo o cuidado é pouco: o resultado é sempre trágico e os barcos, descontrolados, acabam batendo na encosta e afundando.
O mito existe há décadas, ou melhor, a mais de dois séculos. Durante este tempo, Loreley nunca envelheceu e continua viva na memória popular. Com o intuito de desvendar um pouco os segredos desta figura mitológica e também apresentar a beleza do Vale do Reno, os museus das cidades de Bingen e Koblenz, decidiram realizar uma mostra conjunta intitulada Um penhasco no Reno e Um sonho alemão, respectivamente.
A idéia de unir o mito com a história da região e apresentá-la como um todo surgiu depois que o Vale do Reno, um trecho de 65 quilômetros, entrou para a Lista do Patrimônio Cultural da Humanidade da Unesco, em reconhecimento à sua grande variedade e beleza.
Geologia e história
Mais de 40 castelos e fortalezas, dezenas de igrejas e mosteiros, penhascos e vinhedos compõem o visual desta região fluvial que atrai milhares de turistas de todo o mundo. A exposição em Bingen exibe mais de 250 objetos e uma série de informações históricas e geológicas de até 400 milhões de anos atrás, com a descrição do surgimento e das mudanças ocorridas na geografia local.
Um das peças mais interessantes exibidas em Bingen é uma gargantilha de bronze estimada em 3 mil anos. Este achado arqueológico seria prova da presença feminina na região já naquela época. Outros objetos como peças de cerâmica e bronze atestam que o Vale do Reno foi habitado há milênios.
O penhasco onde a bela Loreley fez sua morada, tem uma altura de 132 metros e fica na curvatura do rio, formando a parte mais estreita do rio. Não é à toa que este trajeto sempre foi temido e cercado de mistério.
Mito ou realidade?
Em Koblenz, a mostra apresenta a lenda de Loreley na literatura, música, cinema e também no turismo e comércio, com peças antigas, de souvenir e até em rótulos de garrafas de vinho e enfeites de Natal.
O mito da Loreley surgiu em 1801, quando Clemens Brentano, tido como o "pai" da beldade loira, relatou pela primeira vez sua história durante uma viagem pelo Reno. Poemas e anotações originais de Brentano, Heinrich Heine e Friedrich Silchers, outros dois poetas que também eternizaram a Loreley, fazem parte da exposição que pode ser visitada até o dia 31 de outubro.
Uma dica: se você for de barco até Bingen ou Koblenz, preste bem atenção. Quem sabe dá para ouvir o canto da Loreley. Muitos garantem que ela de fato existe...