A milenar arte de pintar ovos de Páscoa

A milenar arte de pintar ovos de Páscoa

Internet
por Suzy Belai
Os ovos fazem parte da simbologia pascal da maioria das culturas: de chocolate, cozidos e incrustados (com casca) num bolo, ou com diversos “recheios” em cascas de ovos de aves pintadas. O chocolate só veio dar uma nova forma a um costume que vem de longe.
O ovo era associado a lendas e mitos sobre a criação do universo, não só porque ele é a semente que contem o gérmen vital, mas também devido à sua forma, redonda, sem princípio nem fim. E a gema era associada ao sol, também ele fonte de vida. Ligado tão intimamente à vida, à regeneração, ao renascimento, à fertilidade, ao vigor e, naturalmente, à Primavera, o ovo tornou-se num símbolo da Páscoa, em toda a Europa.
Quase todos os povos do hemisfério Norte costumavam celebrar a chegada da primavera, mais ou menos no período do ano em que surgiria a Páscoa judaica. Acredita-se que os próprios israelitas, quando ainda eram um povo pagão, realizavam essas celebrações, que acabariam se transformando na Páscoa monoteísta. O começo da primavera é a época da procriação, seja para as aves, seja para mamíferos como o coelho. O grande número de ovos e/ou filhotes produzidos por esses animais passou a ser visto como símbolo da fertilidade que acompanhava essa fase do ano. Embora pareça maluca, a ligação entre coelhos ou lebres e os ovos era feita porque as tocas desses animais lembram, em alguns casos, os ninhos de aves, levando à idéia de que os coelhos também botariam ovos.
Graças a essas associações, desenvolveu-se o costume de trocar como presente ovos de aves (galinha, gansa, pata, avestruz), decorados durante as festividades de Páscoa.

Pysanky, Pysanka, e Pessanka são palavras singulares, derivadas de uma mesma palavra ucraniana, “escrever”. Pessanka, são ovos inteiros crus decorados com uma complicada combinação de desenhos geométricos, cores variadas, figuras e símbolos religiosos originários da Ucrânia.
Dar uma pessanka é dar um presente simbólico da vida, porque o ovo deve renascer por inteiro. Nesta tradição, as pessoas idosas recebem uma pessanka com cores escuras ou com sofisticados desenhos, pois a sua vida foi bastante movimentada; já as crianças recebem uma pessanka de cor predominantemente branca, pois a sua existência é, ainda, uma página em branco. As moças nunca devem dar aos namorados uma pessanka sem desenhos nas pontas do ovo, pois a “calvície” nos ovos significa que os namorados deverão perder os seus cabelos. Além disso, cada um dos desenhos e das cores na pessanka é considerado ter um significado profundo e simbólico. Os traços desenhados na fina casca simbolizam diferentes desejos, sendo considerados uma espécie de amuleto, que preferencialmente deve ser ganho e mantido em casa para trazer a boa sorte, a saúde, a prosperidade e a longevidade.
Tradicionalmente, os desenhos das pessankas são escolhidos para combinar com o carácter da pessoa a quem deve ser dada. Esta tradição ucraniana remonta a mais de 3 mil anos antes de Cristo.
Após muitos períodos conturbados, havendo passado pelos domínios russo, polonês, austríaco e húngaro, mais duas guerras mundiais e a anexação à URSS, a Ucrânia finalmente passou a ser independente em 1991. A tradição das pessankas se mantém como um dos fortes traços dessa cultura e daquelas as quais mantiveram contato. Para a confecção é utilizada a cera de abelha pura para traçar os motivos e por imersão em anilina para serem tingidas.
Veja a galeria de fotos do artista So Jeo, é fantástica!!!

Na Hungria, além da decoração dos ovos (Hímestojás), existe uma tradição chamada de “Regas”. Lá, nesta época, não se regam as flores e sim as moças e mulheres, na Páscoa. A preparação começa na sexta-feira santa, onde as mulheres decoram as cascas vazias dos ovos e depois as enchem com guloseimas ou amendoim crespo. Os ovos são símbolos da fertilidade e associados à Páscoa. Para quem quer conhecer um pouco mais desta arte, em São Paulo existe a Associação Hungara que oferece o curso.
Na tradição, os ovos ficam em casa como decoração até à Segunda-feira da Páscoa. Neste dia, os rapazes vão a casa das moças e começam um ritual bem ligada à Primavera e à fertilidade. Eles chegam sozinhos ou juntos e recitam rimas para cortejar. A maioria dessas rimas comparam as moças às flores que precisam de água para não murcharem. Depois, trazem água fresca ou perfume, mergulham uns ramos de flores e plantas aromáticas e aspergem sobre as moças. A tradição da irrigação (em húngaro: locsolás), relaciona-se com o batismo, logo com o Cristianismo.Um dos vários versos que os homens dizem antes de molhar as mulheres é: “Estava numa floresta verde / Vi uma violeta azul / Ela estava a murchar / Posso regála?”. Um outro: “Nesta casa tem uma roseira/ A rosa tem um botão/ Rego este botão/ O ovinho agradeço!”
Depois as mulheres entregam ovos pintados como presente amoroso e oferecem comida e doce. Esta tradição húngara é mantida em pequenas comunidades, inclusive as habitadas pelos húngaros na Roménia e na Eslováquia. Agora, existem comunidades em que as “Regas” são mais ousadas, são com baldes d’água mesmo. Alem dos ovos pintados, na Hungria existem também os ovos bordados ou esculturas nas cascas de ovos. Veja outras esculturas belíssimas e o vídeo de como fazer, clicando aqui.
Já os poloneses, através de várias técnicas de pintura e desenhos, faz desta tradição inclusive uma opção de hobby e educação para milhares de pessoas na Polônia e seus descendentes no Brasil. No município de Dom Feliciano, que fica no Rio Grande do Sul, a tradição é mantida com um concurso anual, entre os alunos dos Ensinos Fundamental e Médio, realizado pela Casa de Cultura do Imigrante Polonês. A Diretora Luciana Rembowski diz que por ser uma tradição que representa a vida nova no período da Páscoa, mantê-la é fundamental, para que não fiquem apenas na história.
Se você gostou e quer fazer em casa, existem possibilidades de decoração fáceis e mais rápidas. Abaixo algumas fotos de desenhos para serem pintados (como temos descendência húngara, escolhemos alguns dos motivos desta cultura para compartilhar) e as técnicas mais simples:
Técnica 1 – raspe os desenhos que deseja na casca de ovo e mergulhe numa água feita a base de vegetais coloridos: suco de beterraba, couve, cenoura, cebola, açafrão;
Técnica 2 – coloque tiras coloridas umedecidas de papel crepom na casca e espere secar;Técnica 3 – pinte os ovos com anilina alimentícia colorida. Recheie com amendoim crespinho, ou amendoim salgado ou granola. Feche o buraquinho com papel de seda ou manteiga com cola feita de farinha.
E por fim, prepare uma linda cesta para presentear de forma original e especial.