50 anos da viagem de Laika

Laika foi uma vira-latas de uns três anos capturada em Moscou e adestrada para ser o primeiro ser vivo da terra a entrar em órbita. Uma missão que cumpriu quando foi lançada dentro da Sputnik 2, uma nave soviética, em 3 de novembro de 1957.


Oficialmente o objetivo de enviar Laika ao espaço era criar procedimentos para que depois fossem aplicados aos cosmonautas russos. E como propaganda, a idéia era demonstrar ao mundo que a União Soviética tinha recursos e capacidade para colocar uma nave em órbita com um ser vivo dentro. Realmente não sei se as escolas ensinam isto atualmente, mas já foi matéria obrigatória. O que os professores nunca nos disseram é que a cápsula não era desenhada para voltar a Terra e que extra oficialmente Laika sofreu excessivamente no treinamento e durante a missão.

Foram três os cães candidatos para a Sputnik 2: Albina, Mushka e Laika, que foram colocados em pequeninas caixas (cada vez mais reduzidas à medida que se aproximava a data de lançamento) por 15-20 dias, o que causou que os animais deixassem de urinar e defecar, deixando-os num estado deplorável. Os três cães também sofreram em máquinas centrífugas que aceleravam o batimento cardíaco ao dobro e aumentavam sua pressão sanguínea a níveis preocupantes.


Laika, a cachorra eleita para voar na Sputnik 2 foi colocada na cápsula três dias antes da missão. Segundos depois do lançamento seu batimento cardíaco triplicou.


Por anos a União Soviética assegurou que Laika morreu afogada quando as baterias da Sputnik 2 falharam, outras vezes disseram que morreu por meio de gás ou por comida envenenada. Já em 2002 o doutor Dmitry Malashenkov do Instituto de Problemas Biomédicos da Rússia e parte da equipe da missão confirmou que Laika efetivamente morreu 7 horas depois do lançamento por stress e temperaturas extremas dentro da cápsula.


Em 1998, Oleg Glazenko, responsável por enviar Laika ao espaço disse numa conferência de imprensa:


- "Quanto mais tempo passa, pior me sinto à respeito. Não aprendemos o suficiente nesta missão para justificar a morte da cadela."


Laika foi e é parte da cultura pop contemporânea, mas dependendo da época, as opiniões são a favor ou na contramão do trato que recebeu a expensas da experiência: antes o denominador comum celebrou sua morte, hoje é motivo de rejeição.