Depoimentos de ouvintes

Angela Badaró

Conheci o programa: A Alemanha e a música’ em 1997, ano em que minhas filhas Lorraine e Lizandra passaram a fazer parte do grupo de danças folclóricas Kaiserstadt. Foi identificação imediata. Desde então só perco um programa, se não estiver em casa.


O programa me transporta para minhas origens. Lembro-me muito de meus avós Carolina Melanie Goettnauer Kuster e Frederico Guilherme Kuster. Sempre penso que, se eles ainda estivessem por aqui, adorariam ouvir um programa como este, reportado exclusivamente para nossa cidade e àqueles dos quais somos descendentes.


Sempre exaltando Petrópolis, com sua história, seus acontecimentos e principalmente com muita alegria, o programa: “A Alemanha e a música”, é realmente um programa cultural. Parabéns por estes 20 anos. Obrigada!

Elizabeth Magalhães Braz

Como me tornei ouvinte do programa : “ A Alemanha e a MúsicaQuando chega o domingo, sempre quero ouvir o Programa A Alemanha e a música”.” Mas antigamente este programa não existia. Como minha mãe sempre gostou de ouvir o rádio, certa vez ouvi a voz da Elisabeth Graebner falando sobre a música da Alemanha e comecei a prestar atenção. Eu sempre gostei de música e fiquei fã assídua do programa. E então comecei também a aprender sobre a Alemanha. Eu já me interessava pelas origens da minha família que tem uma pequena parte alemã: a mãe do meu avô materno era filha de imigrantes alemães (meu tataravô era Christopher Klein) e minha mãe sempre contava alguns casos sobre os costumes alemães que vivenciara quando era ainda criança, pois sua avó ainda os cultivava de várias maneiras: algumas receitas, comemoração de Natal, algumas músicas que eram cantadas, algumas palavras de que se recordava, embora minha mãe nunca tenha aprendido o idioma com o meu avô. Certa vez ouvi o nome da Olívia, que estava participando também do programa. Eu já a conhecia, pois trabalhamos juntas por muitos anos, como professoras da Escola São Judas Tadeu, na Mosela. E também havia o sorteio, com uma pergunta para acertar, como até hoje.


E a partir de então, sempre o programa faz parte das minhas manhãs de domingo. Aos poucos fui descobrindo nomes de amigas que também ouvem sempre o programa e participam por telefone. E até hoje estamos sempre participando e torcendo para que ele continue fazendo sucesso.


Fico bastante apreensiva nos domingos em que preciso sair para a Igreja, pois chego a casa geralmente depois do meio-dia. (minha igreja tem culto no 2º domingo do mês) e no primeiro domingo também sempre participo de uma atividade na Ordem Rosacruz, da qual também faço parte.E chego mais tarde, quase não conseguindo telefonar. Muitas vezes não sei nem qual foi a pergunta do dia e preciso me comunicar com as amigas para descobrir. “A Alemanha e a Música” é o programa que já conquistou o seu lugar na minha rotina de domingo e estarei sempre telefonando, respondendo a pergunta, mandando abraços e aprendendo sobre a cultura alemã. Minha xará Elisabeth e sua equipe estão de parabéns com esta iniciativa que enriquece muito as manhãs de domingo na nossa cidade de Petrópolis.

Gilda Guimarães

Contando a história do “nosso” programa, (lá se vão 20 anos), um grande sucesso, com pessoas ligando, atpe da Alemanha! Quem imaginaria....disse eu à essa minha amiga Elisabeth Graebner que carinhosamente me chamou de; “a ouvinte nº 1”, título esse que até hoje me enche de orgulho. Assim, resolvi te escrever, transcrevendo o poema que eu acho, tem tudo a ver com você.


Viagem.
(Heliana Prado)
Quem nunca olhou
O dia que morre
A vida que corre
Num doce vagar.
Quem não pegou
O seu barco
E saiu pela vida....
Viagem de ida
Quem sabe - sem volta
Talvez de revolta
Não quis nem voltar
Pra luta renhida!
Pra luta dorida!
Sem vitória ou derrota
Sem Batalha!
Nem medalha!
Sem herói nem vencedor
Esta é a luta da vida
E quem seguiu nessa viagem
Talvez quem sabe – esqueceu
Que a vida só tem vitórias
Pra quem batalhou e venceu .


Beth, e então, não combina com tua história? Espero que gostes. Fica a minha eterna gratidão pelo título que trago comigo, de “Ouvinte nº 1. Foi esta a maneira que encontrei pra te homenagear

Receba meu abraço e eterno apreço.

Norma Daldin

Sou assídua ouvinte e participante do programa “A Alemanha e a música”, que gosto de gostar.

Bisneta de colonos alemães pela linha materna de: Peter Krautkraemer e Anne Marie Wirsch. Ele nascido em Karlbach e ela em Ober-Heimbach.

Pedro Kraes Filho

O programa: “A Alemanha e a música” é uma estrela que brilha em todo lugar. No brilho dessa luz que reluz, a gente vive num eterno continuar. Viaja de volta ao passado, segue em direção ao futuro e de repente, tudo transforma-se em presente. Na poltrona de uma linda canção eu viajo de carona pela imensidão. Viajando pela via láctea, sinto que alma não tem idade. Alma viaja sempre em busca da eterna felicidade. Vivendo neste mundo de magia, estou aqui ouvindo o programa: “A Alemanha e a música”.

Silas Natan Marques

“A Alemanha e a música” é um programa simpático, alegre e divertido, agregador, que resgata a nossa história, nossa origem, o que nos ajuda a entender o presente e projetar o futuro e que dá espaço para todo os ouvintes.


Sendo petropolitano, participei várias vezes mesmo de Porto Alegre, por telefone, internet, falando ao vivo, tendo sua preciosa atenção, também nos momentos difíceis.


Aliás, muito importante destacar sua dedicação nesses 20 anos, rádio, grupo de danças, Bauernfest, e muita simpatia. Uma pessoa que chegou de outro estado, SC, e dedica a sua vida de forma espontânea e apaixonada pela cidade de Petrópolis.


Obrigado.

Um forte abraço.

Sonia Fagundes Esch

Sentimo-nos felizes por termos um programa de rádio que só divulga o que é agradável e construtivo e que só uma grande e amorosa família poderia nos proporcionar, tornando mais agradáveis os nossos domingos e aumentando nossa fé na humanidade.

Devemos pensar no grande valor moral desse Programa e nos orgulhar dele, visto que, quando ele está no ar, não precisamos diminuir o volume do rádio para que nossas crianças não ouçam palavras ou músicas impróprias. Isto é na verdade, um grande privilégio.

Eu sou fã incondicional de sua apresentadora Elisabeth Graebner, de Olívia Wendling e de toda equipe que comanda com muita classe essa “Jóia” da Rádio Imperial de Petrópolis.

Parabéns pelos 20 anos e sucesso cada vez maior. É o que deseja a ouvinte e admiradora.

Sylvia Isabel Tannenbaum

Parabenizo pelos 20 anos do programa: “A Alemanha e a música”, à comandante deste trabalho Elisabeth Graebner e suas colaboradoras; Olívia Wendling, Anne Grotz, Margarete Kaiser e Patrícia Brahms e à nossa querida Rádio Imperial de Petrópolis.

Sou descendente dos colonos alemães André e Justina Justen que aqui chegaram em junho de 1845 e assídua ouvinte e participante a longo anos, nem lembro quantos.

Deus abençoe a todos.