O Natal das lembranças

Por: Maria Sixel


Fui à casa da Sra. Maria Sixel (83 anos) na Mosela que nos contou muitas histórias.
Sobre o Natal ela conta com saudades a seguinte história:

Lembro que aqui na Mosela, sempre no dia 6 de dezembro, “Dia de São Nicolau” acontecia uma comemoração muito curiosa; Uma moça muito bonita de cabelos louros e cacheados, montada sobre um jumento e vestida de noiva, subia pela Rua Mosela. Chamavam-na de Christkind. Ao seu lado caminhavam dois cavalheiros (talvez para tomar conta dela e do animal). Ela montava no animal, sentada de lado.
Na Mosela, uma verdadeira multidão de crianças estava à sua espera. Em determinado momento eram jogadas através das varandas, nozes, amêndoas, balas, etc, como forma de anunciar que o “Christkind” estava chegando. A criançada vibrava e todos gritavam: “Sie kommt schon” (Ela já está chegando) E não demorava muito. Logo que os personagens chegavam, as crianças em algazarra recebiam muitas guloseimas. E todos cantavam: Morgen kommt der Weinachtsmann, kommt mit seinem Gaben. (Amanhã vem o Papai Noel, vem com seus presentes).
Música: Morgen kommt der Weinachtsmann!
Dona Maria Sixel continua seu relato, lembrando dos natais de sua infância: Diz ela:
Já no início de dezembro, a sala da casa era fechada e as crianças não tinham mais acesso à ela, antes do Natal. Lá dentro, “Papai e Mamãe Noel” trabalhavam com afinco. Nós crianças, às vezes tentávamos ir do lado de fora e espiar pela janela, mas esta ficava fechada. Então, por vezes caíam do lado de dentro fios prateados e dourados que nossos pais diziam ser parte do cabelo dos anjos que estavam colocando os enfeites de Natal na árvore e na sala. E nós acreditávamos, para nós eram realmente anjinhos que estavam em nossa casa. (Suspira). Ah, como era boa esta expectativa!
Enquanto o grande dia não chegava, íamos ensaiando as músicas para o Natal: Alle Jahre wieder, O du Fröhliche, Stille Nacht, O Tannenbaum e muitas outras. E também havia o Calendário de Advento, onde do dia 1º até o dia 24 dezembro, podíamos abrir somente uma janelinha, aquela correspondente ao dia. E isto acendia mais ainda em nós, a chama da esperança pela data mágica.
Os presentes para o Natal, não eram comprados como hoje, quando os pais vão com as crianças ao shopping e elas escolhem o que querem ganhar. Tudo o que se ganhava era surpresa, uma após uma, e isto era maravilhoso. Quando então finalmente chegava o grande dia, lá pelas 4 horas da tarde, a mãe mandava todos tomarem banho e se arrumarem. Era um clima de festa, euforia e expectativa. Todos queriam estar bonitos, colocar sua melhor roupa para o grande momento. Quando então todos estavam prontos e as primeiras estrelas surgiam no céu, era chegada a grande hora: Finalmente a porta da sala se abria. E lá estava ela, a grande árvore, majestosa, colorida, toda enfeitada e iluminada à luz de dezenas de velas. Então podíamos entrar. Sobre a mesa, havia um prato com guloseimas para cada um e também os presentes estavam lá, esperando por nós. Mas, antes de abrir os presentes, cantávamos as músicas natalinas ensaiadas durante todo o mês, enquanto os corações batiam fortes. Só então podíamos conferir oque o Papai Noel havia deixado para cada um e também examinávamos a grande árvore, cuja luz refletia em nossos olhos.
Gosto muito do Natal. Tenho recordações muito, muito felizes, que guardo com muito carinho. Vou morrer sem esquecer.
E a música de Natal que eu mais gostava era esta: O Tannenbaum!

Ainda vamos ter aqui, muitas histórias contadas por Dª Maria Sixel, e com relação à história de hoje, no final da minha visita à sua casa, pude ver fotos de alguns natais em sua casa. E em todos os cantos havia algo que lembrava o Natal. Na porta da geladeira em forma de ímãs, receitas específicas sobre a mesa enfeitada com toalha, arranjos e louças com motivos alusivos, Presépios, um em especial Dª Maria fez dentro de um panetone que ela esculpiu, Luzes por toda a casa e a família reunida.
Fiquei muito feliz ao constatar o quanto o Natal é celebrado em sua forma mais representativa na casa da família Sixel, na Vila João Justen, na Mosela.
Obrigada pela bela tarde que a Sra. me proporcionou.