A Alemanha vai proibir carros movidos a combustíveis fósseis em 2030

Alemanha vai proibir carro à combustão (A Alemanha e a música, dia 16/10/2016).
Os carros com motor à combustão têm os dias contados na Alemanha. Literalmente: eles vão sobreviver exatamente 4.820 dias a partir desta quinta-feira, 13 de outubro de 2016.
O Conselho Federal do país aprovou uma resolução que proíbe a venda de veículos a diesel e a gasolina a partir de 2030 (lá eles não usam o álcool como combustível), conforme informação da revista Der Spiegel.
A ousada decisão foi tomada com a concordância dos representantes dos 16 Estados que compõem o Conselho Federal, para atender a decisão de reduzir as emissões de poluentes determinadas pelo Pacto Mundial sobre o Clima da Conferência de Paris, em dezembro do ano passado.
O governo alemão investiu US$ 1,3 bilhão para subsidiar a compra de carros elétricos até 2019, para incentivar o processo de substituição dos carros à combustão, com subsídios de US$ 4,4 mil para a compra de um carro elétrico e de US$ 3,3 mil para um híbrido.
A decisão proíbe a venda de veículos com motor a combustão a partir de 2030, mas a frota com esse combustível poderá rodar até 2050, portanto por mais vinte anos, quando, então, será proibido rodar com qualquer veículo a gasolina e diesel.
A decisão vai provocar mudanças profundas na sociedade alemã, pois inúmeras atividades e profissões serão simplesmente aniquiladas, enquanto outras surgirão. O compromisso do governo alemão é reduzir entre 80% e 95% a emissão de dióxido de carbono (CO2) até 2050.
Não por acaso, as grandes marcas alemãs se preparam para esse novo mundo: a BMW já tem inclusive no Brasil o modelo I8 e o I3, ambos elétricos. A Volkswagen acabou de lançar no Salão de Paris um carro totalmente elétrico para 2020, o I.D. Concept e a Audi tem a família E-tron, hoje formada apenas por híbridos, mas que serão de emissão zero num futuro breve.
Um grande exemplo que vem, novamente, da Alemanha. Muita coragem do governo alemão em proibir a venda de carros movidos a combustíveis fósseis ou mesmo de origem vegetal. Como já foi dito anteriormente, muitas profissões desaparecerão , sendo substituídas por outras, novas, ligadas ao novo modelo de automóvel. O país terá apenas 13 anos para preparar essa mão de obra para os novos desafios. Esse projeto faz parte de uma decisão tomada pela Alemanha em 1972, em plena crise do petróleo, quando a OPEP surgiu e resolveu fazer um cartel de preços de petróleo e o mundo quase quebrou. Na ocasião o governo alemão decidiu que até 2050 estariam totalmente independentes de energia originada de fontes fósseis, pois não queria mais ficar refém dos países da OPEP, já que não possuem petróleo em território alemão.
Vejam que o governo pagará ao fornecedor dos carros elétricos US$ 4,4 mil (cerca de R$ 13.500,00) por carro vendido na troca por um carro movido a combustível fóssil ou US$ 3,3 mil (cerca de R$ 10 mil) se for híbrido.
É claro que isso só é possível porque lá temos uma sociedade onde não há abismos sociais, já que não seria justo o governo usar recursos dos tributos arrecadados de toda a população para beneficiar proprietários de automóvel. Lá também não há tantos escândalos de desvio ou má versão de recursos públicos como por aqui, por exemplo.
Essa medida vai provocar uma mudança muito grande na indústria automobilística mundial, pois quem quiser exportar veículos para a Alemanha a partir de 2030 terá que ter fabricado carros elétricos também. O mais provável é que a indústria automobilística se adapte em peso ao novo modelo de carro, o elétrico, assim beneficiando todo o planeta com menos emissão de gases poluentes.
Há um grande desafio a ser vencido por todos e nós aqui não estamos fora disso. Nossa indústria automobilística vai ter que se adaptar para exportar, nossos profissionais ligados ao setor de serviços voltados para os automóveis também terão que começar já a se preparar para o novo que já está batendo à porta (são apenas 17 anos) e as empresas de petróleo terão que encontrar novas aplicações para seus produtos. E a Petrobras está incluída nisso.
Em 1900 Ford revolucionou a indústria mundial ao criar o automóvel movido à gasolina e isso sustentou grande parte da economia mundial até hoje. Agora a Alemanha, mais uma vez eles, dão a largada para uma nova revolução indústria. Que nossos governantes estejam atentos ao fato, senão vamos voltar a ser importadores de automóveis e a ter escacês de mão de obra para atender ao novo tipo de veículos que vão dominar as estradas. Ou ficaremos como Cuba, com carros obsoletos, velhos, caindo aos pedaços a rodar por nossas ruas e estradas.
(Fonte base: Matéria de Joel Leite, UOL Notícias).