Campanha da Fraternidade 2017-Biomas Brasileiros e defesa da vida

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017.Biomas brasileiros e defesa da vida.(Coletânea e pesquisa de Marcos Carneiro para o programa Minutos da Sustentabilidade do A Alemanha e a Música do dia 26/02/2017)
Todos os anos, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) apresenta e conclama toda a sociedade a participar da Campanha da Fraternidade, como caminho de conversão quaresmal, cultivo e cuidado comunitário e social. Em 2017, a Campanha tem como tema “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”. E, inspirado no Livro do Gênesis (2,15), o lema: “Cultivar e guardar a criação”.
Com o objetivo geral de “cuidar da criação, de modo especial dos biomas brasileiros, dons de Deus, e promover relações fraternas com a vida e a cultura dos povos, à luz do Evangelho” (texto-base CF 2017), a campanha evidencia a beleza natural e a diversidade do nosso país, por meio dos seis biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal, que juntos abrigam cerca de 14% da biodiversidade de plantas do mundo.
Biomas são as maiores áreas contínuas de um mesmo tipo de ecossistema (plantas e animais) que conseguimos reconhecer em nível nacional. É uma paisagem que reúne os diversos elementos da natureza. “Um bioma é formado por todos os seres vivos de uma determinada região, cuja vegetação é similar e contínua, cujo clima é mais ou menos uniforme e cuja formação tem uma história em comum” (texto-base CF 2017).
A vegetação do Brasil é uma das mais ricas do mundo. O professor Rodrigo de Andrade Kersten, da Escola de Ciências da Vida, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), explica que sua importância vai além da enorme quantidade de animais e plantas que nela habitam. “É da vegetação que tiramos nosso sustento. O ar que respiramos devemos a ela, a água que bebemos provém dela, o solo que cultivamos foi criado por ela. Cuidar de nossa natureza é cuidar de nosso futuro e do futuro de nossos filhos e netos”, afirma. “As diferentes populações brasileiras conhecem a importância do local onde vivem e querem sua preservação. Devemos, em conjunto, procurar a preservação de cada uma destas regiões e das pessoas que nelas moram, respeitar as diferenças e lutar para que o homem tenha um ambiente limpo e equilibrado, para que toda sua vida seja também equilibrada”, destaca o biólogo e professor.
Admirar a diversidade, criar relações respeitosas com a vida e cuidar dos biomas brasileiros, além de ser uma ação de fé e cidadania, é uma demonstração de comprometimento para com a criação e com as gerações futuras. Para a criança, o contato com a natureza também é importante para seu desenvolvimento. E ter o exemplo de uma comunidade que cuida do local onde mora é um aprendizado que pode ser levado para a vida toda, que envolve desde o simples fato de não jogar lixo no chão ou no rio, até o interesse pela defesa do que não está sendo preservado.
Nas próximas páginas, você vai conhecer mais sobre os biomas brasileiros e que atitudes práticas podemos ter no dia a dia, para preservar o meio ambiente. O Museu da Vida, em Curitiba (PR), também preparou uma exposição baseada nesta temática, fazendo uma relação com as regiões em que a Pastoral da Criança atua.

• Amazônia Caatinga Cerrado Mata Atlântica Pampa Pantanal

Amazônia

Comemoração: O Dia Nacional da Amazônia é celebrado em 5 de setembro.
Área aproximada: 4.196.943 km²
Área que ocupa no Brasil: 49,29%
Vegetação: Floresta Tropical
Clima: Equatorial Úmido
Temperatura média anual: 22-28ºC
Estados: Acre (100%), Amapá (100%), Amazonas (100%), Pará (100%), Roraima (100%), Rondônia (98%), Mato Grosso (54%), Maranhão (34%) e Tocantins (9%).
População: 24 milhões de brasileiros (80% dessa população vive no meio urbano).
Animais (espécies): 4.200 espécies catalogadas. O total pode chegar a mais de 2 milhões de espécies. Entre elas: 163 anfíbios, 240 répteis, 1.000 aves, 311 mamíferos, 1.800 borboletas e 3.000 abelhas.
Flora (espécies): 2.500 espécies de árvores e 30 mil espécies de plantas.
Curiosidade: A bacia amazônica é a maior bacia hidrográfica do mundo: cobre cerca de 6 milhões de km² e possui 1.100 afluentes. Esse bioma também abriga a maior reserva de madeira tropical do planeta.
Desafios:
Entre os desafios relacionados à preservação da Amazônia estão: as queimadas, que ocorrem para abertura de pastagens para o gado ou áreas agrícolas (principalmente para o cultivo de soja), alteram o clima e ampliam o efeito estufa no planeta; uso de mercúrio pelos garimpeiros, o que contamina os rios e os peixes, afetando a sobrevivência das tribos que moram no local; destruição de nascentes e das florestas que protegem os rios; poluição das águas pelo uso dos rios como esgotos não canalizados; o desmatamento ilegal e predatório, que desencadeia um desequilíbrio no ecossistema da região; e o uso inadequado do solo, que leva ao seu desgaste precoce e necessidade de abertura de novas frentes de desmatamento.
Uma das consequências do desmatamento da Amazônia é a seca causada em outras partes do país, pois a umidade da vegetação deste bioma ajuda a regular a quantidade de chuvas em outras regiões.

Dicas para preservar a Amazônia:
1. Evite cortar árvores para cultivar alimentos e/ou criar animais. Você sabia que muitas espécies de plantas se desenvolvem muito bem na sombra? Veja alguns exemplos: Açaí, banana, carambola, cacau, goiaba, graviola, jenipapo, mamão, pupunha-palmito, taperebá e tucumã.
2. Evite queimadas. Além da fumaça, o fogo pode matar muitas espécies de animais e plantas nativas.
3. Faça a retirada conscientemente de recursos ofertados pelas florestas (e.g. frutos, madeira, caça, pesca), respeite o período de reprodução e retire somente a quantidade necessária para sua subsistência.
4. Evite construir sua casa e outras edificações em regiões de várzeas, igapós e rios. Além de proteger sua família de uma possível enchente, também protege as margens desses corpos “d’água, evitando erosão, assoreamento e mortalidade de peixes e animais de água doce”.
5. Seja gentil no trânsito, respeite a sinalização e os limites de velocidade. Ações como esta evitam o atropelamento de pessoas e animais silvestres.