Cota de Recursos Naturais para 2016 se esgota dia 08 de agosto.

Minutos de Sustentabilidade-Programa de segundo aniversário.
A Alemanha e a Música. Rádio Imperial de Petrópolis.

Tema: Recursos do planeta: humanidade viverá a crédito a partir de segunda-feira, 08 de agosto de 2016.
Na próxima segunda-feira (8), a humanidade terá consumido a totalidade dos recursos que o planeta é capaz de renovar em um ano e passará a viver “no cheque especial” até 31 de dezembro – calculou a ONG Global Footprint Network, lembrando que esse momento chega cada ano mais cedo.
O dia 8 de agosto vai marcar para a Terra, neste ano, o “Earth Overshoot Day” (dia de passar do limite). A partir dessa data, “viveremos no cheque especial”, anunciou a organização em um comunicado conjunto com a ONG WWF, ou seja, estaremos consumindo recursos que seriam necessários para o ano próximo e isso vem acontecendo desde 1970.
Nossas cotas de consumo sustentável vem entrando no “cheque especial” há 46 anos quando começamos a usá-lo em 23 de dezembro de 1970. Já reduzimos para 7 meses nosso crédito anua de recursos. É o mesmo que se a partir de 08 de agosto tivéssemos consumido todo o nosso salário do ano de 2016 e fossemos viver até o final do ano no cheque especial.
Para fazer o cálculo, a Global Footprint leva em conta a emissão de gases poluentes, os recursos consumidos pela pesca, pecuária e agricultura, assim como as construções e o uso de água.
Em 2015, o Earth Overshoot Day foi em 13 de agosto. A data “avança inexoravelmente desde os anos 1970″ do século passado, afirmam as ONGs. Em 1970, esse dia chegou em 23 de dezembro e, desde então, não parou de ser adiantado.
“Para satisfazer nossas necessidades, atualmente precisamos do equivalente a 1,6 planeta” por ano, disseram ambas as organizações.
“O custo desse consumo excessivo já é visível: escassez de água, desertificação, erosão do solo, queda da produtividade agrícola e das reservas de peixes, desmatamento, desaparecimento de espécies”, lista o comunicado.
“Viver a crédito só pode ser provisório, porque a natureza não é uma jazida, da qual podemos extrair recursos indefinidamente”, afirmam.
As emissões de dióxido de carbono (CO2) e outros gases poluente, são o maior fator desse excesso, visto que representam “60% da nossa pegada ecológica global”, afirmam a WWF e a Global Footprint.
Segundo o Relatório Anual sobre o Estado do Clima, um documento publicado na terça-feira (2), de cuja elaboração participaram 450 cientistas do mundo todo, as emissões de gases poluentes atingiram níveis recordes em 2015, apesar dos esforços feitos pelos países da Comunidade Europeia, estados Unidos e da América do Sul, mas a China e a Rússia vem desequilibrando esses esforços. Os EUA também não colaboram adequadamente no tocante a emissão de gases poluente oriundos ,principalmente da queima de petróleo e carvão.
Só há uma solução de verdade: reduzir o aumento da população mundial .O Planeta já não comporta atender os anseios de consumo de sete bilhões de pessoas. Aliado a isso, é fundamental a redução do nível de consumo per capita dos países desenvolvidos como EUE e Comunidade Europeia. (Base: Ambientebrasil, dia05/08/16 e comentários de Marcos Carneiro).